Conteúdo

O blog atém-se às questões humanas. Dispensa extremismos ou patrulhas. Que brilhe a sua luz. Bem-vindo e bem-vinda!

sábado, 17 de julho de 2010

Divulgação
O efeito espacial começou a afetá-lo cada vez que passava por uma crise existencial e de depressão, a metamorfose vinha onde estivesse, em casa, no trabalho, na rua, no porão, na despensa comendo queijos.
O autor blogueiro

Abaixo texto do blog:
O texto é todo diálogo, com idéias de números e matemática.
Nem sempe lógica. Se não apreciar, deixe seu recado.
O blogueiro
Favas contadas
Na casa 9. Portão principal:
- Olá! Vim te ver.
- Finalmente, achou, heim! Casa nove, fora.
- Caseiro, meu rapaz?
- Síndico, professor! Aposentou?
-Há três anos, dois meses e um dia.
- Toma café?
- Em grãos ou pó?
- Em pó mesmo, é o que tenho.
- Então ponha uma acolher das de chá em meia xícara de água quente, que equivale a trinta grãos úmidos. Ok?
- Com açúcar?
- Dois blocos.
- Mas...e em colheradas.
- ...eu mesmo coloco.
- Tem passeado muito?
- Nem faço conta mais, mas isso é o de menos importância.
- Mas e a família? A quantas anda?
- Dois filhos, três netos e um cachorro vadio.
- Vadio?...
- Nem tanto, carrega umas trezentas pulgas e coça-se muito pelo quintal.
- Mas não tem também genro? Sua filha...
- Ah, esse!? Um zero à esquerda.
- Ah...E a esposa?
- Sempre à minha direita, viu. Com ela dividi, somei, multipliquei e subtrai as agruras da solidão.
- Melhor dois que um.
- Mas não casaste?
-Quase. Um é pouco, dois é bom e três é... Deus conta as lágrimas das mulheres.
- Enganaste a coitada. Já vi.
- Quase uma vez.
- Foi ou não?
- Foi, mas não foi. Foi quase, já disse.
- Ah, menino, no teu colégio não ensinei Derivadas, mas aprendeste outras cousas. Assim, traída te deixou? Hum.
- Traída, não! Quase.
- Mas foi ou não?
- Quase, ela quase me deixou por duas vezes pela mesma razão, então me deixou por inteiro e nessa soma dá zero.
- O que a “outra” fazia?
- Resolvia exercícios de matemática à tarde toda.
- E você, meu rapaz, nunca foi bom nessa disciplina. Mas me conte como foi.
- Nessa e em nenhuma. Eu fazia exercícios com bastão, mais precisamente varria o corredor e...
- Vai, vai, como chegou ao affaire?
- Bão. “Affaireci” um café, uma colher das de chá em meia xícara de água quente, que equivale a trinta grãos úmidos.
- E?
- Açúcar a gosto.
- Não, e, e...
- Ah, prometi um professor para ensiná-la, por isso chamei o senhor.
- Ulalá, malandrão! E a outra, a sua quase noiva onde mora? Quem sabe eu dê uma força para o seu verdadeiro amor também.
- Tá bem. Está na recepção, mas prometa que vai tratá-la bem e o levo lá.
- Claro, meu rapaz, pela honra dos meus filhos... É esta de costas?
- Sim – a moça virou-se:
- Papai!!!

Um comentário:

  1. Olá Camilo.
    Parabéns pelo texto, blog e pela boas idéias.
    Fernando Zocca.

    ResponderExcluir

Seu comentário é valioso. Grato.